Segunda-feira, 29 de Maio de 2017

Buscar  
Brasil
Publicada em 22/08/16 as 09:50h - 132 visualizações
MERCADO DIZ QUE ECONOMIA CRESCERÁ 1,2% EM 2017
. As estimativas estão distantes do centro da meta de inflação de 4,5%. Para 2016, a projeção ultrapassa também o limite superior da meta que é 6,5%. O teto da meta em 2017 é 6%.

Rádio Amazônia Viva FM - A Rádio Top de Belém

Link da Notícia:

 (Foto: Rádio Amazônia Viva FM - A Rádio Top de Belém )

Instituições financeiras consultadas pelo Banco Central (BC) informaram que a projeção de crescimento da economia brasileira em 2017 passou de 1,1% para 1,2%. Para 2016, elas mantêm a estimativa de encolhimento da economia. A projeção de queda do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país, permanece em 3,20% para 2016. As estimativas fazem parte de pesquisa feita todas as semanas pelo BC sobre os principais indicadores da economia. O levantamento é divulgado às segundas-feiras no boletim Focus.

A projeção das instituições financeiras para a inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), foi mantida em 7,31% este ano, e caiu de 5,14% para 5,12%, em 2017. As estimativas estão distantes do centro da meta de inflação de 4,5%. Para 2016, a projeção ultrapassa também o limite superior da meta que é 6,5%. O teto da meta em 2017 é 6%.

 INFLAÇÃO

 É função do BC fazer com que a inflação fique dentro da meta. Um dos instrumentos usados para influenciar a atividade econômica e, consequentemente, a inflação, é a taxa básica de juros, a Selic. Quando o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central aumenta a Selic, a meta é conter a demanda aquecida, e isso gera reflexos nos preços, porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

Quando o Copom reduz os juros básicos, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, mas a medida alivia o controle sobre a inflação. Atualmente, a Selic está em 14,25% ao ano.

A expectativa das instituições financeiras para a taxa Selic permanece em 13,75% ao ano, ao final de 2016, e segue em 11% ao ano no fim de 2017. A projeção para a cotação do dólar segue em R$ 3,30 ao final de 2016, e caiu de R$ 3,50 para R$ 3,45, no fim de 2017. (g1.com)




Deixe seu comentário!

ATENÇÃO: Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Redes Sociais


(91)99240-4550

Hora Certa
No Ar
RIOS DE ÁGUAS VIVAS
Peça sua Música

  • MARIA JOSÉ DA SILVA SANTOS
    Cidade: cambui minas gerais
    Mensagem: léa miranda-vai abrir o mar p/ vc passar,me desculpe não sei o nome da música. a paz do senhor.
  • MATHEUS
    Cidade: GOIANIA
    Mensagem: A ELE GLORIA
  • JUNIOR
    Cidade: GOIANIA
    Mensagem: PODEROSO DEUS
  • ROSEMARY
    Cidade: GOIANIA
    Mensagem: RENDIDO ESTOU
  • georlando efamilha
    Cidade: barcarena laranjau
    Mensagem: queorasao
  • Eltim Soares
    Cidade: Maracajá Pará
    Mensagem: Só Deus.lazaro
Estatísticas
Visitas: 190007 Usuários Online: 16


Parceiros

Copyright (c) 2017 - Rádio Amazônia Viva FM - A Rádio Top de Belém - Todos os direitos reservados